Encontro marcado com bala perdida

  • Postada em: 17/06/2015
  • Autor: Eustáquio Libório

Era véspera do Dia do Trabalhador quando, no fim da tarde, o mestre de obras Pedroso Casas resolveu visitar o irmão, morador do mesmo bairro, Colônia Santo Antônio, na zona Norte. Seu Pedroso saiu, mas avisou à mulher que não demoraria. Estaria em casa antes do jantar, porque Pedroso não era homem de desperdiçar a caldeirada de dona Vivi, como ele chamava Vicência, companheira há mais de 35 anos.

Cobrar roupa emprestada é fatal

  • Postada em: 11/06/2015
  • Autor: Eustáquio Libório

Não sei você, mas quando eu era criança tínhamos um ditado segundo o qual “quem empresta, não presta”. Não havia percebido o sentido da frase, pois achava que o emprestador é que não valia nada, até saber o que aconteceu com Maneco da Bermuda, lá pelas bandas do Jorge Teixeira, naquela quinta-feira, 19 de março.

Vou de bike, sem habilitação nem pregação

  • Postada em: 9/06/2015
  • Autor: Eustáquio Libório

A metrópole na qual Manaus se transformou tem todos os problemas que as grandes cidades atraem em decorrência de seu crescimento e, por que não dizer, sem desenvolvimento. Se este não foi suficiente para inibir mazelas durante o processo de expansão da cidade, agora é a vez dos cerca de dois milhões de habitantes pagarem o preço, enquanto as autoridades correm – correm? – atrásdas soluções necessárias que, quando forem implantadas, chegarão com algum atraso. 

Sete vidas e um atropelamento

  • Postada em: 3/06/2015
  • Autor: Eustáquio Libório

Gatos não são bichos de estimação, mas animais inteligentes que adotam seres humanos para cuidar deles, alimentá-los e, eventualmente, mas só muito eventualmente, os gatinhos têm a condescendência de retribuir, com algum carinho ou gestos inesperados, esse cuidado de gente com os bichanos.

Minha experiência com esses felinos vem de muito tempo e algumas foram marcantes pelo desfecho não muito feliz, como foi caso de um gatinho amarelo que apareceu na área verde perto de onde moro, abandonado por alguém, todo machucado.

Da aldeia global à sociedade em rede

  • Postada em: 19/05/2015
  • Autor: Eustáquio Libório

Lá pelos anos 1960, Marshall McLuhan se debatia com conceitos do que ele chamou de “era da eletricidade” para explicar a simultaneidade da tecnologia de ponta de então, coisas como as comunicações via satélite, que possibilitavam assistir programas de TV e ouvir rádio de qualquer parte do mundo, ampliando, assim, os sentidos do ser humano, que podia fazer telefonemas de um continente para outro e derrubava, dessa forma, a barreira do tempo e do espaço, aproximando as sociedades por meio da tecnologia. 

Mulher livra marido dos vizinhos e lhe dá uma surra

  • Postada em: 11/05/2015
  • Autor: Eustáquio Libório

No bairro Santa Etelvina tem um conjunto residencial chamado Deus é Fiel. O nome pode parecer uma obviedade, mas é sempre bom ter isso em mente, mesmo quando a situação não tem nada de fidelidade, principalmente entre marido e mulher.

Porém, quando se fala em fidelidade, logo a conversa vai para o lado do corno,  de pessoa traída, mas têm vezes que uma coisa nada tem a ver com a outra, como aconteceu lá pelas bandas do Deus é Fiel, zona Norte, onde a mulher, com toda fidelidade, acertou o marido.

Páginas